óculos-filho

Meu filho precisa de óculos?

Veja por que é importante levar a criança ao oftalmologista e saiba como escolher a melhor armação para os óculos

Nos primeiros meses de vida do bebê, a visão ainda está se desenvolvendo e ele enxerga pouco. Isso não significa que ele tenha algum problema – é absolutamente normal. Porém, caso venha a ter alguma dificuldade, será muito mais fácil solucioná-la se o diagnóstico for precoce. Aí está a importância das visitas ao oftalmologista. “Apenas a consulta oftalmológica poderá revelar o quanto a criança enxerga. Os pais devem levá-la ao menos uma vez até o terceiro ano de vida, mas quando notam algo errado nos olhos do bebê a consulta deve ser imediata”, explica Ana Tereza Ramos Moreira, coordenadora da Residência Médica em Oftalmologia da UFPR e Chefe do Serviço de Oftalmologia do Hospital de Clínicas na mesma universidade.

Se seu filho nunca apresentou problemas de visão, pode ser difícil perceber a necessidade do uso de óculos antes da idade escolar. Isso porque normalmente a criança não se queixa de estar enxergando mal e o fato de assistir à televisão muito próximo do aparelho não necessariamente indica algum problema. É na escola que o problema costuma aparecer, principalmente na fase da alfabetização. Por isso, se seu filho não consegue prestar atenção à aula, apresenta mau comportamento ou é distraído, pode sim ser apenas dificuldade de enxergar.

“Pode ser difícil perceber a necessidade do uso de óculos nas crianças antes da idade escolar. Se os pais notam algo errado
a consulta deve ser imediata.”

Feito o diagnóstico pelo oftalmopediatra, é hora de escolher os óculos. “As armações devem unir segurança e conforto sem nunca deixar em segundo plano a autoestima da criança. Ela deve participar da escolha dos seus óculos, no entanto, deve haver sempre o bom senso”, orienta Ana Tereza Moreira. Os óculos podem ser ajustados à cabeça do seu filho por meio de uma faixa de silicone, ou as próprias armações podem ser siliconadas, como peça única, e ajustadas diretamente nas orelhas. “É importante que a cada faixa etária seja adequado o tamanho dos óculos ao tamanho do rosto da criança”, lembra a médica.

3 dicas sobre o uso dos óculos

1 – Nunca refira-se à criança como “coitadinha”, pois fará com que se sinta diferente das demais. Caso os pais tenham usado óculos na infância e não tenham boas recordações, não devem transferir essa experiência ao filho.

2 – Se seu filho pratica algum esporte com bola, é recomendado o uso de óculos apropriado para trauma, disponível no mercado. Para crianças que fazem natação e são usuárias de óculos, as armações comerciais disponíveis podem ser adaptadas para receber as lentes de grau.

3 – Quando a criança se expõe frequentemente à luz solar, como no verão, deve sim usar óculos de sol – de boa qualidade. As que têm olhos claros, com mais fotofobia, também podem ter os óculos escuros como grande aliado.

*** Ana Tereza Ramos Moreira é referência em oftalmologia pediátrica, estrabismo e baixa visão, com mais de 30 anos de experiência na área /// Rua Emiliano Perneta, 822, 20º andar /// (41) 4141-7000 /// (41) 3225-6703 /// (41) 99960-4444 /// draanaterezamoreira@gmail.com

Fonte: Matéria publica na Revista Viver Kids JUL/2017, p. 36-37. Texto: Fernanda Montano
Clique aqui e veja a matéria no site da Revista Viver Kids
www.facebook.com/ViverKids/

Leia mais:
Oftalmopediatria

Post Anterior Próximo Post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *